Maciel Salú estreia espetáculo inédito em Brasília

Foto: Alcione Ferreira

Até o final de 2017, Circulação Nacional do artista ainda percorrerá Curitiba|PR, São Paulo|SP, João Pessoa|PB, Natal|RN, Salvador|BA, Olinda|PE, Tracunhaém|PE e Recife|PE

O cantor, compositor e rabequeiro Maciel Salú está com tudo pronto para começar a sua turnê nacional. A estreia seu novo show será na Festa de Abrição de Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro, no Centro Tradicional de Invenção Cultural, em Brasília, no dia 29 de abril (sábado), a partir das 19h. Até o final de 2017, o artista levará a nove cidades do Brasil um espetáculo inédito, formado por músicas do mais recente “Baile de Rabeca”, canções dos seus três primeiros discos e novas composições que farão parte do seu próximo álbum. Junto com sua rabeca e sua banda, o músico ainda vai circular por Curitiba|PR, São Paulo|SP, João Pessoa|PB, Natal|RN, Salvador|BA, Olinda|PE, Tracunhaém|PE e Recife|PE. Além das apresentações, a circulação ainda vai contar com a vivência “A arte transforma – Maciel Salú, sua rabeca e trajetória dos terreiros para o mundo”, onde o cantor vai falar sobre a sua história como Mestre e brincante dos folguedos da cultura popular e a transição como artista de palco. Em Brasília, a atividade será realizada no dia 28 de abril (sexta), às 19h, também no Centro Tradicional de Invenção Cultural. Continuar lendo Maciel Salú estreia espetáculo inédito em Brasília

Maciel Salú circula o Brasil com espetáculo inédito

Foto: Alcione Ferreira

Até o final de 2017, Circulação Nacional do artista percorrerá Brasília|DF, Curitiba|PR, São Paulo|SP, João Pessoa|PB, Natal|RN, Salvador|BA, Olinda|PE, Tracunhaém|PE e Recife|PE

O cantor, compositor e rabequeiro Maciel Salú está com tudo pronto para começar a sua turnê nacional. Até o final de 2017 o artista levará a nove cidades do Brasil um espetáculo inédito, formado por músicas do mais recente “Baile de Rabeca”, canções dos seus três primeiros discos e novas composições que farão parte do seu próximo álbum. Junto com sua rabeca e sua banda, o músico vai circular por Brasília|DF, Curitiba|PR, São Paulo|SP, João Pessoa|PB, Natal|RN, Salvador|BA, Olinda|PE, Tracunhaém|PE e Recife|PE. Além das apresentações, a circulação ainda vai contar com a vivência “A arte transforma – Maciel Salú, sua rabeca e trajetória dos terreiros para o mundo”, onde o cantor vai falar sobre a sua história como Mestre e brincante dos folguedos da cultura popular e a transição como artista de palco. Continuar lendo Maciel Salú circula o Brasil com espetáculo inédito

Confira entrevista de Maciel Salú no programa O Som do Brasil

O cantor, compositor e rabequeiro Maciel Salú participou do programa O Som do Brasil, da rádio Universitária 99,9FM, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), no dia 26 de janeiro de 2017. O bate-papo foi comandado pelo apresentador Cássio Uchôa. Acompanhe o programa na íntegra:

Maciel Salú lança o dançante “Baile de Rabeca”

Quarto disco da carreira solo do artista foi gravado de forma independente e com a parceria dos fãs e admiradores da música do rabequeiro através de financiamento coletivo

Após ter iniciado com recursos próprios e contando com a parceria dos fãs através de uma campanha de crowdfunding, Maciel Salú apresenta o 4º álbum da sua carreira solo. O disco, produzido de forma totalmente independente, chegou em 2016, seis anos após o lançamento de “Mundo” (2010). Como o título já sugere, a rabeca, companheira de vida e de carreira do artista, é a grande homenageada no novo projeto.

No “Baile de Rabeca”, Maciel Salú enaltece o instrumento que o acompanha desde o começo da sua carreira musical no início dos anos 1990. Presente em todas as 10 faixas do CD, a rabeca ganha novos timbres em cada uma delas. É possível passear entre o som cru e barroco da rabeca popular e o contemporâneo quando o artista faz uso dos efeitos eletrônicos de seus pedais. Assim Maciel Salú traz o conhecimento do passado e da contemporaneidade sem perder nem ferir a sua identidade.

Nas 10 faixas do “Baile de Rabeca”, Maciel Salú convida todos a dançar ao passear por diversos ritmos como forró de rabeca, samba, marchinha, coco e cúmbia. Mas o novo disco também tem espaço para celebração e devoção. Na música “Mãe divina (Morro da Conceição)” o artista rende homenagens à Nossa Senhora da Conceição. “Esta é uma música muito especial não apenas por eu ser devoto, mas por ter recebido muitas bênçãos de Nossa Senhora da Conceição. Quem escutar vai identificar coco, novena católica e candomblé. É um sincretismo religioso e musical”, explica o artista.

As gravações do “Baile de Rabeca” aconteceram no Fábrica Estúdios (Recife), com produção musical de Rodrigo Samico. A direção musical e os arranjos foram assinados por Maciel Salú e toda a equipe de músicos que o acompanha no novo projeto. O time é formado por Rodrigo Samico (guitarra), Rogério Victor (baixo), Emerson Santana (percussão), José Mário (percussão), Nana Milet (backing vocal e percussão) e Daniel Coimbra (cavaquinho).

Nome e projeto gráfico – A capa do disco foi desenvolvida a partir da ideia de Maciel Salú em homenagear os brincantes e as festas que aconteciam na localidade de Chã de Camará, no município de Aliança, na Zona da Mata Norte de Pernambuco. A locação escolhida para a produção das fotos foi uma das casas que formavam as conhecidas Três Vendas, local que no passado era palco de diversos festejos populares, como bailes de rabeca, sambadas de Maracatu e Cavalo Marinho. Atualmente das três vendas, apenas uma resistiu ao tempo e à ação dos homens, as outras foram demolidas e levaram em meio aos seus destroços parte de história desse antigo vilarejo. No projeto gráfico assinado pelos designers Priscila Moreira e Walton Ribeiro, com fotos de Alcione Ferreira, a atmosfera das festas foi revivida, servindo de inspiração.

Informações: www.macielsalu.com.br / grao.pe@gmail.com / +55 81 99606.7758
Redes Sociais: facebook.com/macielsalu.pe | instagram.com/macielsalu | soundcloud.com/macielsalu

Sobre o “Baile de Rabeca”

Músicas:
1. Quem tem dois não tem nenhum – 2:46
2. Rabeca de imbuia – 3:39
3. Laço de amor – 4:39
4. Cadê o rabequeiro – 3:06
5. Mãe divina (Morro da Conceição) – 4:37
6. Que balão é esse? – 3:55
7. No polimento da fivela – 2:03
8. Vendedor ambulante – 2:55
9. Tempo que não volta mais – 3:08
10. Forró dos carneirinhos – 2:45

Ficha técnica:
Arranjos e Direção musical: Maciel Salú, Rodrigo Samico, Rogério Victor, Emerson Santana e Zé Mário
Produção Musical: Rodrigo Samico
Técnicos de gravação: Paulo Umbelino e Christiano Lemgruber
Técnico de mixagem: Marcílio Moura
Técnico de masterização: Pablo Lopes
Produção executiva: Rute Pajeú | Grão – Comunicação e Cultura
Projeto gráfico: Priscila Moreira e Walton Ribeiro
Fotografia: Alcione Ferreira
Assessoria de comunicação: Dulce Reis | Feed Comunicação
Gravado, mixado e masterizado no Fábrica Estúdios (Recife|PE)
Estúdio de pré-produção: Skill (Recife|PE)

Sobre Maciel Salú:
Pernambucano, nascido em Olinda, Maciel Salú é cantor, compositor, rabequeiro, mestre e brincante de diversos folguedos populares. Herdeiro da umas das famílias mais expressivas na cultura popular – a Família Salustiano, convive desde a infância em meio a Maracatus, Cavalos Marinhos, Cocos e Cirandas.

E foi com toda essa musicalidade, carregada dos símbolos, sons e sotaques do Brasil, que Maciel Salú foi convidado a representar junto com a Orchestra Santa Massa a sonoridade da cultura brasileira na Cerimônia de Encerramento das Olimpíadas Rio 2016. Acompanhado de sua rabeca, em pleno Estádio do Maracanã, o músico e a Orchestra Santa Massa se apresentaram para um público presente estimado em 70 mil pessoas e com expectativa de mais de 3 bilhões de telespectadores em todo mundo. O repertório incluiu uma canção de autoria de Maciel Salú composta especialmente para ocasião.

Foi graças à desenvoltura com a Rabeca que na década de 90, no auge do manguebeat, Maciel Salú foi convidado a integrar a banda Chão e Chinelo. Foi nessa época que ele começou a cantar, compor e experimentar a fusão entre o popular e o contemporâneo. Essas experimentações ganharam ainda mais força a partir de 2002, quando reuniu seu vasto repertório popular e adentrou no mundo da música eletrônica junto ao DJ Dolores, Fábio Trummer, Jam da Silva e Isaar, formando a banda DJ Dolores & Orchestra Santa Massa. Com o grupo ganhou o reconhecimento da crítica através de um BBC Awards, um Prêmio Tim (melhor álbum) e o Prêmio Multicultural Estadão.

Em 2003 o músico iniciou carreira solo. Foi quando passou a apresentar ao público sua singularidade. Marcadas por arranjos cheios de criatividade, as composições de Maciel Salú acompanham seu amadurecimento. A cada nova obra apresenta um verdadeiro conjunto harmônico que leva ao palco toda a plasticidade e timbre de um dos nomes mais presentes no cancioneiro pernambucano da atualidade.

Com o seu trabalho autoral participou do Europalia.Brasil (2010), Projeto Pixinguinha (2007), Ano do Brasil na França (2005) e fez importantes parcerias com músicos e artistas, dentre eles Chico César, Jorge Du Peixe (Nação Zumbi), Siba, Jam da Silva, Isaar, Carmélia Alves e Luiz Paixão.

Atualmente, além do trabalho solo e a Orchestra Santa Massa, o artista ainda integra a Orquestra Contemporânea de Olinda, uma das bandas pernambucanas que desde 2008 mais circula pelo país. Bastante elogiada pela crítica musical, a Orquestra já foi indicada a importantes prêmios, entre eles o Prêmio da Música Brasileira (2009) e ao Grammy Latino (2010), onde concorreu na categoria Melhor Álbum de Música Regional Brasileira.

Com 20 anos de carreira em palcos, Maciel Salú já participou de diversas coletâneas nacionais e internacionais e projetos de outros grupos e artistas. Apenas na sua trajetória com bandas e trabalho autoral, o músico acumula dez discos, dentre eles:

Maciel Salú (solo)
Baile de Rabeca | 2016
Box com os discos A pisada é assim, Na luz do carbureto e Mundo | 2015
Mundo | 2010
Na luz do carbureto | 2007
A pisada é assim | 2003

Orquestra Contemporânea de Olinda
Bomfim | 2015
Pra Ficar | 2012
Orquestra Contemporânea de Olinda | 2008

DJ Dolores & Orchestra Santa Massa
Contraditório | 2002

Chão e Chinelo
Loa do Boi Meia-Noite | 1999

Clique aqui para salvar o release em PDF